Foto: Lisiane Aguiar

“Como somos uma família cristã buscamos nos divertir de outra maneira, que não é sair para beber ou dançar. Gostamos de ir à Igreja, passar tempo em família e cuidar da educação dos nossos filhos” -  Yraída

por Lisiane Aguiar

Yraída, 32 anos, está no abrigo Nova Canaã, em Boa Vista, desde maio de 2018 com seus dois filhos e o marido. Na Venezuela era estudante universitária de Engenharia de Sistemas e relembra como sua vida era completamente distinta, pois tanto ela como seu companheiro estavam trabalhando e estudando. Ela reflete que quando chegou ao Brasil teve um pouco de medo, já que não sabia o idioma. Mas não tem dúvidas que vale a pena estar cada dia por aqui, pois Boa Vista lhe pareceu um lugar com boas oportunidades para recomeçar.

Foto: Lisiane Aguiar

Sem trabalho, comida, medicamentos e perspectivas de mudanças dessa situação na  Venezuela, a solução foi partir com a família em busca de novas possibilidades. Antes da crise morava em uma casa confortável em Maracaibo. Optou em migrar para o Brasil, pois tinha familiares que já estavam em Boa Vista e que iriam dar suporte na chegada. No momento, planeja fazer a interiorização para o Rio Grande do Sul, porque muitos amigos recomendaram como um bom lugar para conseguir trabalho.

Pretende seguir sempre com a sua crença cristã, pois observa que é um caminho totalmente diferente do que a maioria das pessoas buscam como, por exemplo, beber e sair para festas. Sua rotina no abrigo consiste em despertar às 6h e preparar o café da manhã das crianças. Levá-las ao colégio. Depois regressar para arrumar seu espaço dentro do abrigo. Tenta deixá-lo ao máximo limpo e organizado. Como não há um prazo para sair do abrigo e nem sabe a data certa da interiorização tenta fazer do pequeno espaço que tem um lar para sua família.