“Estou no Brasil para que meus filhos tenham um futuro” - Caterine

por Juliana Mangabeira

Caterine, 25 anos, vivia em Barcelona, Venezuela, com seu esposo e filhos. Antes de migrar ao Brasil a vida de Caterine pertencia à outra realidade, com uma boa qualidade de vida. Entretanto, a crise alcançou a Venezuela, e logo afetou sua família, tudo o que Caterine conhecia foi deixado para trás. Os amigos e boa parte de sua família permaneceram em Barcelona.

Caterine era proprietária de um salão de beleza, trabalhava com estética profissional, algo que ela sempre gostou de fazer, com seu trabalho juntou dinheiro e viajou para o Brasil, porém ao chegar a Pacaraima, município de Roraima, ela e sua família já não tinham como custear as passagens para Boa Vista, com sorte conseguiram uma carona até a capital de Roraima. Desde esse episódio até hoje, já fazem sete meses que ela vive no abrigo Rondon 1, em Boa Vista.

Ainda sem trabalho, ela diz que ao sair de Barcelona seu único objetivo era proporcionar para seus filhos melhores oportunidades. Essa é uma das características mais fortes de Caterine: a sua proteção com seus filhos. Também acredita ser uma pessoa boa e simples. Mesmo sem ter encontrado um emprego, ela não desistiu, para ela tem sido uma situação difícil, mas como a ela disse: “não é impossível”. Seu desejo ainda é encontrar um salão de beleza para que possa trabalhar na carreira que mais aprecia.  

 Foto: Katarzyna Górka

A migração forçada mudou a vida de Caterine completamente. Acostumada a viver em uma realidade confortável, de repente, teve que migrar para um país desconhecido e deixar para trás as pessoas que ama. Ela comenta que ainda dói falar da Venezuela devido à situação que o país enfrenta atualmente. Caterine nunca pensou em deixar seu país. A decisão da partida foi uma das mais difíceis escolhas que ela teve que lidar em sua vida. Ela confessa que já pensou em voltar, só não o fez porque não deseja que seus filhos passem por situações difíceis na Venezuela. Caterine espera que seu país se recupere para que seja possível regressar e ter o Brasil apenas na memória como um belo país.